Atividades realizadas 

Ano letivo 2016_2017

VER: em Clube Europeu AEMN  


 Sessão sobre os Direitos Humanos 

17 de Novembro de 2018

Pelas 10.30, na sala dos grandes grupos da Escola Secundária do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo teve lugar uma sessão sobre os Direitos Humanos, dinamizada pela Professora Céu Pires, membro do Núcleo de Estremoz da Amnistia Internacional.

Participaram alunos das turmas C, D do 9º e 10º anos de escolaridade. Os alunos foram sensibilizados para a importância da defesa dos Direitos Humanos e colocaram algumas questões sobre as situações de  desrespeito pelos direitos humanos, nas sociedades contemporâneas.

Também foi apresentada a nova campanha da Amnistia intitulada Brave.

No final da sessão, os participantes assinaram as cartas com as causas da Maratona de Cartas deste ano.



Rifas de S.Nicolau 

Tal como estava previsto, no passado dia 5 do corrente mês,  festejamos o dia de S.Nicolau  com muita música e rifas coloridas, sempre com direito a brinde. 

Os nossos reconhecidos agradecimentos ao excelente sexteto da OFA que nos proporcionou deliciosos  momentos de fruição musical, à coordenadora do Centro Juvenil da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, aos alunos da turma C do 12º ano, à  professora bibliotecária Carla Marvão e aos funcionários do bloco A, sem os seus contributos a nossa iniciativa teria perdido muito do seu fulgor. Por último, destacamos calorosa participação dos alunos da Escola EB,23 de São João de Deus.


Deixamos aqui  uma lista de links sobre as tradições natalícias alemãs gentilmente cedida pela Dra. Helena Esteves da Embaixada alemã, em Lisboa:

https://www.dw.com/de/weihnachten-im-deutschunterricht/a-18937308

https://www.dw-world.de/dw/article/0,,1823925,00.html (Natal, Mercados de Natal, culinária, etc.) (pt. do Brasil)

https://www.krippen.de/ (alemão)

https://www.derweg.org/feste/weihnachten/wheilidr/(canções de natal / alemão)

https://www.krippen.de/weihnachtslieder.php (canções de natal / alemão)

https://www.dresdnerstollen.de/ (alemão e inglês)

https://www.goethe.de/ins/pt/de/spr/unt/kum/jug/wei.html

https://www.goethe.de/de/spr/unt/kum/kal.html

https://de.islcollective.com/resources/search_result?Vocabulary_Focus=Weihnachten (trabalhos sem custos para download)

Áustria ( lista cedida pelo Dr. Ingo Koenig):

https://www.theguardian.com/travel/2012/dec/23/christmas-vienna-food-drink

https://www.austria.info/uk/things-to-do/skiing-and-winter/christmas-markets

https://www.austria.info/uk/things-to-do/skiing-and-winter/christmas-markets/austrian-christmas-stories

23 de janeiro: Dia Internacional da Liberdade 

No dia 23-01-2018, promovemos a celebração  do Dia Internacional da Liberdade: no intervalo das 10 horas,  escutaram-se canções emblemáticas da "Chanson Française" (candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO) sobre a temática dos ideais de Igualdade, Liberdade e Fraternidade com a colaboração da OFA. Também foi apresentada uma montagem vídeo alusiva à "Chanson Française."

Intercâmbio Cultural com os Clubes Europeus do Agrupamento de Escolas D.Dinis e EBI de Arrifes, Montemor-o-Novo, 15  a 17 de fevereiro


Um dos maiores desafios com que se defrontou o Clube Europeu foi o de organizar um intercâmbio cultural entre três Clubes Europeus de escolas, inseridas em contextos geográficos, políticos, sociais e culturais tão diversos como Lisboa, Açores e Alentejo. Assim, no período de 15 a 17 de fevereiro teve lugar, em Montemor-o-Novo, a primeira fase do Intercâmbio Cultural com os Clubes Europeus da Escolas dos Arrifes (S.Miguel - Açores) e da Escola D.Dinis (Lisboa). O programa foi cumprido na íntegra, tendo inclusivamente, sido proporcionada uma vista à Oficina da Criança, que não fazia parte do plano inicial. Os nossos convidados tiveram um programa bastante preenchido, onde predominou a alegria e a boa disposição, conforme afirmou a professora Rosário César, coordenadora do Clube Europa do Agrupamento de Escolas D.Dinis. Através da realização deste projeto conjunto, os três clubes procuraram fomentar aprendizagens do foro cognitivo, emocional e comportamental, incentivando os alunos para a participação ativa e responsável enquanto bons cidadãos europeus. Os nossos convidados ficaram alojados no Centro Juvenil de Montemor-o-Novo, tendo sido acolhidos pela Dr.ª Anabela Ferreira, responsável pelo referido centro a quem muito agradecemos o apoio incondicional que nos deu. As atividades foram planeadas de forma sequencial, maximizando a gestão do tempo. No primeiro dia, passado na cidade de Montemor-o-Novo, foram proporcionadas visitas à quinta da Plansel, ao castelo de Montemor-o-Novo e ao Museu Arqueológico. O almoço e o jantar foram graciosamente servidos na Cantina da Escola Secundária do Agrupamento. No segundo e terceiro dias, visitaram monumentos megalíticos como a Gruta do Escoural, a Anta Capela de S. Brissos, o Cromeleque dos Alpendres e a Anta Grande do Zambujeiro. Deslocaram-se, também, à vila de Monsaraz e à cidade de Évora, com a finalidade de promover o conhecimento do património cultural enquanto conjunto de bens materiais e imateriais fundamentais para a memória e identidade europeias.Os nossos convidados tiveram a oportunidade de almoçar na cantina da Universidade de Évora, de visitar esta instituição e de usufruir da presença de estudantes da mesma, que desempenharam o papel de guias, durante as visitas ao jardim do palácio de D. Manuel, à Igreja de S. Francisco (Capela dos Ossos),à Praça do Giraldo, à Catedral, ao Templo Romano, ao Museu de Évora, e à Janela de Garcia Resende. A atuação do grupo coral de cante alentejano, oriundo de Montemor-o-Novo, Fora d'Oras, num dos serões do Centro Juvenil foi considerada um momento muito marcante e especial. O grupo começou por se apresentar e um dos seus membros informou que o cante alentejano é algo de único, não só em Portugal, como também em todo o mundo, figurando na lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Um grupo de alunos do Clube Europeu de Montemor acompanharam algumas das composições, apresentadas pelo grupo coral, confirmando que o cante alentejano une pessoas de diferentes gerações.Deve realçar-se, que todos os alunos, dos três clubes envolvidos, se comportaram de forma exemplar no cumprimento do programa e dos horários e que todos se revelaram muito prestáveis, dispondo-se a ajudar sempre que era necessário. 

Sevilhanas 

No dia 20 de fevereiro, um grupo de alunas do clube, que frequentam aulas de flamenco (classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO) proporcionaram uma surpresa na Escola Secundária, apresentando um momento de danças sevilhanas, na sala de convívio dos alunos, durante o intervalo das 10 horas. A sua atuação foi acolhida com muito agrado pelo público docente e discente.

Celebração da Poesia

Audição de poemas musica dos de autores portugueses (Camões, Florbela Espanca, António Gedeão e Sofia de Mello Breyner, entre outros).

Assinalamos o dia da poesia,  na véspera do seu dia oficial, dando a conhecer poemas musicados de autores portugueses, durante o intervalo das 10h com a atuação de alunas pertencentes ao clube e alunos da Escola Profissional Artes e Ofícios.

Intercâmbio Cultural com os Clubes Europeus do Agrupamento de Escolas D.Dinis e EBI de Arrifes, Montemor-o-Novo, 15 a 17 (Primeira fase)

No período de 15 a 17 de fevereiro,  teve lugar, em Montemor-o-Novo, a primeira fase do Intercâmbio Cultural com os Clubes Europeus da Escolas dos Arrifes (S.Miguel - Açores) e da Escola D.Dinis (Lisboa). O programa foi cumprido na íntegra, tendo inclusivamente, sido proporcionada uma vista à Oficina da Criança, que não fazia parte do plano inicial. Os nossos convidados tiveram um programa bastante preenchido, onde predominou a alegria e a boa disposição, conforme afirmou a professora Rosário César, coordenadora do Clube Europa do Agrupamento de Escolas D.Dinis. Através da realização deste projeto conjunto, os três clubes procuraram fomentar aprendizagens do foro cognitivo, emocional e comportamental, incentivando os alunos para a participação ativa e responsável enquanto bons cidadãos europeus.

Os nossos convidados ficaram alojados no Centro Juvenil de Montemor-o-Novo, tendo sido acolhidos pela Dr.ª Anabela Ferreira, responsável pelo referido centro a quem muito agradecemos o apoio incondicional que nos deu.

As atividades foram planeadas de forma sequencial, maximizando a gestão do tempo. No primeiro dia, passado na cidade de Montemor-o-Novo, foram proporcionadas visitas à quinta da Plansel, ao castelo de Montemor-o-Novo e ao Museu Arqueológico. O almoço e o jantar foram graciosamente servidos na Cantina da Escola Secundária do Agrupamento. 

No segundo e terceiro dias, visitaram monumentos megalíticos como a Gruta do Escoural, a Anta Capela de S. Brissos, o Cromeleque dos Alpendres e a Anta Grande do Zambujeiro. Deslocaram-se, também, à vila de Monsaraz e à cidade de Évora, com a finalidade de promover o conhecimento do património cultural enquanto conjunto de bens materiais e imateriais fundamentais para a memória e identidade europeias.

Os nossos convidados tiveram a oportunidade de almoçar na cantina da Universidade de Évora, de visitar esta instituição e de usufruir da presença de estudantes da mesma, que desempenharam o papel de guias, durante as visitas ao jardim do palácio de D. Manuel, à Igreja de S. Francisco (Capela dos Ossos),à Praça do Giraldo, à Catedral, ao Templo Romano, ao Museu de Évora, e à Janela de Garcia Resende.

A atuação do grupo coral de cante alentejano, oriundo de Montemor-o-Novo, Fora d'Oras, num dos serões do Centro Juvenil foi considerada um momento muito marcante e especial. O grupo começou por se apresentar e um dos seus membros informou que o cante alentejano é algo de único, não só em Portugal, como também em todo o mundo, figurando na lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Destaque-se que alunos do Clube Europeu de Montemor acompanharam algumas das composições, apresentadas pelo grupo coral, confirmando que o cante alentejano une pessoas de diferentes gerações.

Deve realçar-se que todos os alunos, dos três clubes envolvidos, se comportaram de forma exemplar no cumprimento do programa e dos horários e que todos se revelaram muito prestáveis, dispondo-se a ajudar sempre que era necessário. 

Intercâmbio Cultural com os Clubes Europeus do Agrupamento de Escolas D.Dinis e EBI de Arrifes, Lisboa - S.Miguel, 21 a 25 de março.

No período compreendido entre 21 e 25 de março, teve lugar a segunda fase do intercâmbio. Desta feita, foram os montemorenses que se deslocaram a Lisboa e a S.Miguel-Açores.

Esta segunda etapa, iniciou-se com a visita ao MAAT. Após a apreciação das exposições de Tomás Saraceno e de Miguel Palma, os elementos do Clube Europeu do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo foram gentilmente recebidos,  na Escola Secundária de D. Dinis onde lhes foi gentilmente servido o almoço e proporcionada uma visita à escola, bem como uma sessão de apresentação das atividades dinamizadas pelo seu Clube Europeu.

Seguiu-se a partida para o aeroporto e a viagem rumo a Ponta Delgada, S.Miguel.

22 de março de 2018

O intercâmbio com o Clube Europeu da EBI de Arrifes começou com um breve itinerário pelas ruas de Ponta Delgada, no decurso do qual o coordenador do Clube Europeu da EBI de Arrifes, professor José Carlos Pereira, deu a conhecer alguns monumentos da cidade aliados a trechos da História e da religiosidade açoriana. Seguiu-se a visita ao Museu Carlos Machado, onde os alunos puderam aprender muito sobre o património natural e cultural de S.Miguel e dos Açores, pois as guias foram incansáveis e transmitiram muitos conhecimentos, informações e curiosidades, recorrendo a estratégias apelativas e usando uma linguagem simultaneamente acessível e rigorosa. Na Escola dos Arrifes houve uma sessão de boas-vindas, com a presença do youtuber açoriano Helfimed. O almoço, servido a rigor pelos alunos do PROFIJ foi uma deliciosa surpresa e agradou a todos.

A tarde foi preenchida com uma visita ao Centro de Dia da Casa do Povo dos Arrifes, no âmbito da parceria dos Clube Europeu e do Voluntariado do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo, os alunos conversaram com os idosos e estes brindaram os alunos com uma apresentação da história dos Arrifes.

 Depois da comovente experiência que a todos emocionou profundamente, alunos e professores deslocaram-se às Sete Cidades. Aí, puderam apreciar o rico património natural e cultural, como a igreja matriz e as míticas lagoas, azul e verde geradoras de belas lendas, nomeadamente as que pretendem explicar a sua origem.

23 de março de 2018

No dia seguinte, decorreu a visita ao Jardim António Borges, um jardim de estilo romântico do século XIX, pleno de espécies botânicas exóticas e monumentais, como a imponente e vetusta árvore da borracha. No belo cenário deste jardim, nossos anfitriões, do Clube preparam um excelente pequeno almoço açoriano. Depois desta experiência gastronómica, no intuito de fazer um estudo comparativo, os alunos dirigiram-se ao parque do Palácio de Sant'Ana edificados em meados do século XIX, pelo morgado José Jácome Correia, e que acolhem desde 1980 a sede da Presidência do Governo dos Açores. Ambos os jardins constituem um testemunho do seu tempo, representando autênticos museus vivos e património natural e histórico dos Açores, são considerados exemplares importantes na história da arte dos jardins, que devem ser preservados para benefício das gerações vindouras.

Durante a tarde, as estufas de ananases foram as estrelas do dia, tendo sido os alunos ficado a conhecer a história da cultura do ananás em S.Miguel, assim como os processos de produção deste fruto e as tradições culturais em torno desta atividade.

24 de março de 2018

No terceiro e último dia do intercâmbio, prosseguiu-se com o conhecimento do património natural dos Açores com a ida ao vale das Furnas, mediante a observação da flora do parque botânico Terra Nostra e dos numerosos e diversificados fenómenos vulcânicos omnipresentes neste local. A caminho do "vale encantado" as plantações e a fábrica de chá da Gorreana foram objeto de estudo, reunindo elementos do património natural e cultural.

Na globalidade, o intercâmbio foi muito profícuo, permitindo a valorização das aprendizagens obtidas através da educação não formal. Ao longo das duas fases do intercâmbio, os alunos  viajaram, aprenderam, iniciaram novas amizades. Saliente-se que, apesar dos alunos das três escolas não se conhecerem, estabeleceram, desde o início, um espírito de partilha e a integração fez-se de uma forma imediata e espontânea. A troca de experiências obtida por meio dos intercâmbios, favorece a tolerância e a aceitação da diferença como parte integrante da vida em sociedade.

Há que reiterar que os alunos se comportaram de forma exemplar no cumprimento do programa e dos horários, revelando grande sentido de responsabilidade e disponibilidade para fazer novas aprendizagens, conhecer e compreender diferentes valores culturais.